Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Vice de Roberto Jefferson se diz padre, mas nunca foi sacerdote

Publicado

dia:

Vice de Roberto Jefferson se diz padre, mas nunca foi sacerdote

Candidato a vice na chapa de Roberto Jefferson, Padre Kelton celebra missas e batismos na Bahia e ganhou notoriedade em grupos conservadores graças ao discurso contra a esquerda. (Foto: Divulgação/PTB)

Candidato a vice-presidente na chapa de Roberto Jefferson — que cumpre prisão domiciliar por promover ataques ao STF (Supremo Tribunal Federal) —, Kelmon Luís da Silva Souza, tem 45 anos e se diz ortodoxo, mas nunca foi sacerdote das igrejas da comunhão ortodoxa no Brasil, segundo informações da colunista Malu Gaspar, do jornal O Globo.

Padre Kelton, como será identificado o baiano nas urnas, escolheu para as urnas uma foto em que veste uma bata preta e carrega um crucifixo. Ele celebra missas e batismos na Bahia e ganhou notoriedade em grupos conservadores graças ao discurso contra a esquerda.

Uma matéria do Brasil de Fato de 2021 já havia falado sobre o falso padre. Na publicação, ele é descrito como o “terror dos quilombolas” por ter tentando construir uma capela numa área de proteção ambiental da comunidade de Bananeiras, na Baía de Todos-os-Santos, além de promover retiros que levavam pessoas de fora para dentro da comunidade.

A reportagem menciona que Kemon chegou a ameaçar os quilombolas citando a proximidade com Roberto Jefferson.

“Ele nunca pertenceu a uma igreja ‘de verdade’, canônica. Ele sempre gostou de se envolver com essas igrejas falsas que ele diz que é pertencente, mas não é”, diz um representante da Igreja Ortodoxa Antioquina, em maio daquele ano.

Veja como foram as últimas pesquisas eleitorais de 2022:

Em resposta a essa afirmação, Kelmon postou em nas redes fotos do dia em que, após dez anos de preparação, ele teria sido ordenado “sacerdote na capela dedicada a Theotokos na chácara pertencente aos Melkitas.”

Contudo, Kelmon não respondeu ao pedido para que enviasse enviasse os documentos da ordenação, que teria ocorrido em 2015, em São Paulo.

Apesar das credenciais frágeis, ele já foi recebido pelo Arcebispo do Rio de Janeiro, o cardeal Dom Orani Tempesta, participou de convocações para os atos golpistas do 7 de setembro no ano passado na condição de religioso e até recebeu um desagravo da deputada Carla Zambelli (PL-SP) nas redes sociais, diz Gaspar.

No anúncio da candidatura, o PTB descreveu Kelmon como “Padre ortodoxo cristão e conservador”. De acordo com a sigla, ele lidera o Movimento Cristão Conservador do PTB e Movimento Cristão Conservador Latino Americano. Ainda de acordo com a legenda, Kelmon “sempre se dedicou à igreja e ao combate político do avanço da esquerda cristofóbica no país”.

O suposto padre ortodoxo também se diz admirador de políticos já falecidos como Levy Fidélix e Enéas Carneiro. Ele tem um canal no YouTube que usa para denunciar a “islamização” e a “perseguição” a cristãos no Brasil e já foi filiado ao PT.

Fonte: Yahoo Notícias

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DO MÊS