Siga-nos nas Redes Sociais


Brasil

Trens com passagem sanfonada da Série 8000 que eram da Linha 8 – Diamante começam a operar na Linha 9 – Esmeralda da CPTM

Publicado

dia:

Trem da Série 8000 que agora circulam nas linhas 8 - Diamante e 9 - Esmeralda da CPTM. FOTO: Diogo Moreira

Trens com passagem sanfonada que operavam na Linha 8 – Diamante estão chegando na Linha 9 – Esmeralda da CPTM.

Quem andou de trem na linha Esmeralda nos últimos 16 dias deve ter visto que tem um tipo de trem diferente circulando.

Esse trem é um TUE( trem-unidade elétrico ) Série 8000 (CPTM), realocado da linha 8 – Diamante. Ou seja, o trem não é novo. Os trens da Série 8000 estão circulando na Linha Esmeralda para substituir trens da Série 7000 que faziam o percurso da linha Esmeralda e foram realocados para a Linha 10 – Turquesa.

Trem da Série 8000 já operando na linha 9 – Esmeralda da CPTM. Foto: Grajaú News.

Os trens que já estão fazendo o trajeto de Grajaú para Osasco possuem portas mais largas e passagem livre entre os carros que nem as composições das Linhas 4 e 9 do metrô.

O modelo foi fabricado e é fornecido através de uma Parceria Público-Privada(PPP) pela Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles – CAF, o primeiro do tipo entrou em operação no ano de 2012 na linha 8 Diamante.O modelo Série 8000 foi o primeiro trem da CPTM a operar com sistema “gangway” (passagem livre entre os carros).

São 12 trens da Série 8000 para ocupar espaço de outros 12 trens da Série 7000 que foram alocados para a Linha 10-Turquesa e se juntaram a Série 3000 e 7500 que por lá já operam.

A baixa operacional da Série 2100 da Linha 10 – Turquesa começou na quarta-feira, 10 de julho e a intenção é que toda a frota da Série 2100 seja aposentada.

A inserção da frota de 12 trens da Série 8000 na linha 9 – Esmeralda da CPTM será feita de forma gradativa, assim que os trabalhos evoluírem.


No dia 12 de julho sexta feira, em uma publicação no Diário Oficial, foram informados alguns detalhes sobre o empréstimo dos 12 trens da Série 8000.

Na publicação, a CPTM informou como conseguiu realocar os trens, que por questão de contrato, eram até então exclusivos para operação na Linha 8-Diamante da CPTM.

Foi feita uma mudança, chamada de aditamento, no contrato entre a CPTM e o consórcio CTrens, empresa responsável pela manutenção da série 8000 que anteriormente através de uma Parceria Público-Privada previa o uso da frota composta por 36 trens Série 8000 somente na Linha 8.

A mudança segundo o documento foi a seguinte:

”Consignar que os trens da Série 8000 também poderão ser utilizados, a critério da contratante e dentro dos seguintes limites de utilização estabelecidos, na Linha 9-Esmeralda”, diz o texto que também delimita o período de utilização e quantidade de trens cedidos. Segundo a CPTM, os 12 trens ficarão emprestados à Linha Esmeralda até 31 de dezembro de 2021 quando três deles serão devolvidos. As nove composições restantes permanecerão por mais dois anos em serviço quando três também serão retornadas. De janeiro de 2024 a 30 de junho de 2025 apenas seis trens da Série 8000 continuarão na Linha 9. Por fim, de 1º de julho de 2025 até o final do contrato da CTrens, somente dois Série 8000 serão usados na Linha 9.

CPTM e CTrens elaborarão um procedimento técnico para delinear a utilização desses trens na Linha 9. O aditamento, no entanto, ainda não teve seus detalhes publicados e nem se terá algum custo extra para o governo. Apenas um item do contrato será alterado, o que diz de forma objetiva que os serviços contratados à CTrens “deverão ser executados na Linha 8 – Diamante da CPTM”.

Em resumo o contrato traz os seguintes cronogramas de manutenção da quantidade de trens:

  • Até 31/12/21: 12 trens
  • de 01/01/22 até 31/12/23: 9 trens
  • de 01/01/24 até 30/06/25: 6 trens
  • de 01/07/25 até o final do período do contrato: 2 trens; alteração

Valores envolvidos na operação não foram revelados no diário oficial do dia 12 de julho.

Fabricados pela espanhola CAF entre os anos de 2011 e 2012, os trens da série 8000 prestam serviços na CPTM desde o ano de 2012.

Sobre a PPP com a CTrens


O processo de contratação da PPP foi lançado no dia 27 de maio de 2009, com o investimento inicial do parceiro privado previsto em novecentos milhões de reais (com reforma de 24 trens e aquisição de doze novas composições) e um investimento do estado de São Paulo no valor de duzentos milhões de reais por ano, durante um período de vinte anos.

O processo foi vencido pelo consórcio Paulista CTrens[6] (formado pelas empresas Construcciones y Auxiliar de Ferrocarriles e Inversiones en Concesiones Ferroviarias).

Após a assinatura do contrato, houve uma mudança nas características e o consórcio optou pela fabricação de 36 trens novos, que compõe a Série 8000, que foram financiados através do BNDES.

Publicidade
Clique e Comente

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

Mais Lidas