Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

RJ teve quase 5% a mais de mortes em 2022 do que antes da pandemia

Publicado

dia:

Folha da Minha Sampa - Pautando a Região


Apesar do maior controle da pandemia de covid-19 e do avanço na vacinação contra a doença em 2022, o estado do Rio de Janeiro registrou, nos dez primeiros meses do ano, 4,6% a mais de mortes do que em 2019 e um aumento anual médio três vezes maior do que o verificado antes do surgimento da doença.

É o que aponta o levantamento da Associação Nacional dos Registradores de Pessoas Naturais no Rio de Janeiro (Arpen/RJ), com base nos dados do Portal de Transparência do Registro Civil .

Publicidade

Foram registrados entre janeiro e outubro de 2022, 127.796 óbitos, número 4,6% maior que os 122.102 ocorridos nos dez primeiros meses de 2019, antes da chegada do novo coronavírus ao país. A associação ressalta que a média da evolução anual de mortes no estado cresceu 1,6% entre 2010 e 2019, com pico em 2016, quando o aumento foi de 7,3%.

Na comparação com os anos de auge da pandemia, houve uma redução de 20,7% em relação ao mesmo período de 2021, quando foram registrados 161.209 óbitos no estado, e de 8,9% em comparação com janeiro a outubro de 2020, que somou 140.412 mortes. O crescimento dos óbitos nesses anos chegou a 15% e 14,8%, respectivamente.Covid-19

De acordo com a Arpen/RJ, este ano a covid-19 deixou de liderar orankingde mortes por doenças no país, com uma queda de 97,5% entre janeiro e outubro na comparação com o mesmo período de 2021. Nos dez primeiros meses do ano passado, foram registradas 495.761 mortes pela doença, frente aos 59.456 óbitos no mesmo período de 2022.

Publicidade

Segundo a presidente da Arpen/RJ, Alessandra Lapoente, outras doenças relacionadas a sequelas da covid-19 passaram a registrar crescimento no país.

“Mesmo tendo diminuição dos óbitos pelo SarsCoV-2, houve crescimento de mortes por outras doenças, como a pneumonia, doenças do coração e septicemia. A partir desses dados, é possível pensar em políticas de saúde pública e de prevenção a essas doenças”.

As mortes por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) deram um salto de 360% entre 2019 e 2022. Foram registrados 405 óbitos por SRAG nos dez primeiros meses deste ano, frente aos 88 no mesmo período de 2019. Na comparação com o ano passado, houve queda de 76% no número de óbitos pela doença, quando foram 1.027 registros no mesmo período.

Publicidade

Os óbitos por pneumonia passaram de 15.706 entre janeiro e outubro de 2021 para 18.381 no mesmo período deste ano, um aumento de 17%. As mortes por septicemia subiram 12,7% de janeiro a outubro de 2022, com 19.025 registros, contra 16.879 óbitos no mesmo período do ano passado.

As mortes pelas chamadas Causas Cardiovasculares Inespecíficas passaram de 8.977 em 2019 para 12.386 este ano, um aumento de 38%. Os óbitos por acidente vascular cerebral (AVC) subiram 6,9% este ano, na comparação com 2021.

Siga o portal Grajaú News no Google Notícias e no Canal do Telegram.

Publicidade


#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE