Siga-nos nas Redes Sociais


Política

‘Resolveram trabalhar para o PT’, diz Moro sobre ação do PL

Publicado

dia:

'Resolveram trabalhar para o PT', diz Moro sobre ação do PL


Reproducao: Youtube

Sergio Moro foi eleito senador no pleito eleitoral deste ano

O senador eleito Sergio Moro (União Brasil ), se pronunciou após receber a informação de que o PL, partido do presidente Jair Bolsonaro, entrou com um pedido de cassação do seu mandato.

Publicidade

Nas suas redes sociais, o ex-ministro da Justiça afirmou que os políticos que moveram a ação na Justiça estão agindo como “maus perdedores” que decidiram se aliar ao PT, partido do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). 

“Soube pela imprensa que Fernando Giacobo, Presidente do PL/PR, e
@PauloMartins10, segundo colocado nas eleições paranaenses, ingressaram com ação buscando cassar meu mandato de Senador. Anote esses nomes. Maus perdedores que resolveram trabalhar para o PT e para os corruptos”, escreveu na sua conta oficial do Twitter. 

“Da minha parte, nada temo, pois sei da lisura das minhas eleições. Agora impressiona que há pessoas que podem ser tão baixas. O que não conseguem nas urnas, tentam no tapetão”, completou Moro.

Publicidade

Pedido de cassação do mandato de Moro

O PL, partido do presidente Jair Bolsonaro,  entrou com uma ação na Justiça para tentar cassar o mandato do senador eleito Sergio Moro (União Brasil). O objetivo da sigla é que se tenha uma nova eleição no Paraná e que Paulo Martins, representante da legenda que ficou na segunda posição, conquiste uma cadeira no Senado.

A agremiação comandada por Valdemar Costa Neto (PL) pediu apuração de possíveis irregularidades em gastos e doações antecipadas da campanha do ex-ministro. O documento foi entregue ao Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) pelo PL estadual. O processo está em segredo de Justiça.

Publicidade

O partido usou como exemplo o episódio da senadora Selma Arruda. Em 2019, em seu primeiro ano de mandato, a então parlamentar foi cassada pelo TER do Mato Grosso. Selma recorreu, mas o TSE (Tribunal Superior Eleitoral) confirmou a decisão. Carlos Fávaro (PSD), que atualmente integra a transição do governo Lula na área da agricultura, foi quem a substituiu.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Siga o portal Grajaú News no Google Notícias e no Canal do Telegram.

Publicidade


#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE