Siga-nos nas Redes Sociais


Policial

Polícia descobre ‘centro de treinamento’ para rinha de galos no Grajaú

Publicado

dia:

Mais de mil aves estavam em imóveis da zona sul e seriam usadas para rinhas.

No local, os investigadores encontraram os animais presos em gaiolas em uma chácara no Grajaú. Dono da propriedade vai responder por maus-tratos, exploração de jogos de azar e associação criminosa.

Depois de seis meses de investigações, a Polícia Civil descobriu na manhã desta terça-feira (14) uma chácara usada para criação de galos usados em rinhas de animais. A área fica no bairro de Chácara Cocaia, região do Grajaú, na Zona Sul da capital paulista.

No local, os investigadores encontraram vários animais presos em gaiolas e baias, alguns deles bastante feridos. Pelo menos mil animais foram descobertos presos nesses viveiros e gaiolas. Eles eram criados na chácara para uso, segundo os investigadores, em rinhas clandestinas.

A chácara tinha grande infraestrutura para criação desses animais, segundo os policiais que participaram da invasão ao espaço. Havia muitas baias com suporte para água e ração, onde os galos ficavam instalados.

A polícia informou que os galos permanecerão na chácara porque não há espaço físico do estado onde eles possam ser encaminhados. Eles ficarão sob a responsabilidade do dono da propriedade, que vai ser investigado por maus-tratos, exploração de jogos de azar e associação criminosa.

Outro caso

Essa é a segunda descoberta desse tipo da Polícia Civil em menos de seis meses. Em agosto do ano passado, os policiais estouraram uma outra chácara no município de Mauá, na Grande São Paulo, onde havia uma arena de briga de galos construída. O espaço também era usado para a criação de animais para rinhas.

De acordo com a Polícia, o local tinha sido construído justamente para competições ilegais desse tipo, com arquibancada, arena e espaço de tratamento de animais feridos.

Segundo os investigadores, há indícios de que o dono dessa chácara em Mauá é um dos maiores criadores de animais para rinhas do País. Ele vendia galos de briga para outros estados e municípios brasileiros, além de países da América do Sul, como Bolívia, Paraguai e Uruguai.

Publicidade
Clique e Comente

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Publicidade

Siga-nos no Facebook

Mais Lidas