Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Novas internações por covid-19 no Estado de SP caem para menor patamar desde o início da pandemia

Publicado

dia:

Novas internações por covid-19 no Estado de SP caem para menor patamar desde o início da pandemia

Quer se manter informado, ter acesso a mais de 60 colunistas e reportagens exclusivas?Assine o Estadão aqui!

O Estado de São Paulo registrou na segunda-feira, 21, a menor média móvel de sete dias de internações por covid-19 desde o início da pandemia. Foram 233 novas internações, contra 3.399 no pico da pandemia em 26 de março de 2021, e 1.521 no maior índice durante a circulação da variante Ômicron, no dia 29 de janeiro deste ano.



Leito de UTI para covid-19 no Instituto Emilio Ribas, em São Paulo; Estado registrou na segunda, 21, a menor média móvel de internações por covid desde o início da pandemia


© Daniel Teixeira/Estadão – 24/3/2021
Leito de UTI para covid-19 no Instituto Emilio Ribas, em São Paulo; Estado registrou na segunda, 21, a menor média móvel de internações por covid desde o início da pandemia

Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), desde o dia 11 de março, São Paulo tem registrado menos de 300 internações por dia na média, e desde o dia 16, está abaixo do menor recorde anterior de 269 internações registrado em 10 de dezembro do ano passado.

Ainda segundo a SES, o avanço da vacinação no Estado tem refletido diretamente na redução das internações pelo novo coronavírus. São Paulo atingiu a meta de 90% da população elegível vacinada com duas doses e mais de 103 milhões de doses aplicadas.

As mortes por covid-19 também estão em queda. O Estado registrou na segunda-feira a menor média móvel de mortes, com 81 óbitos, desde o pico causado pela variante Ômicron. Desde 15 de março, o índice está abaixo de 100 mortes.

Liberação das máscaras

Com a queda de internações e óbitos, e também devido ao avanço da vacinação, o governo do Estado de São Paulo liberou, na última quinta-feira, 17, a circulação em ambientes fechados sem o uso de máscaras, exceto em unidades de saúde e transporte público. Mas para especialistas, o fim do uso obrigatório de máscaras em São Paulo ainda é precoce por conta da chegada da variante “Deltacron” e da predominância da BA.2 no exterior.

Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DO MÊS