Esta será a aparência da legenda

Mais configurações de legendas

Publicidade

Idiomas da legenda

English

Publicidade

Lula chega a Buenos Aires para reconstruir pontes na América Latina

O presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, chegou a Buenos Aires no domingo (22) para se encontrar, nesta segunda-feira (23), com o presidente argentino, Alberto Fernández, no relançamento internacional de sua nova presidência, que buscará “reconstruir pontes” com a América Latina. O presidente, de 77 anos, faz tradicionalmente sua primeira visita de Estado ao vizinho e sócio do Mercosul, para depois participar, na terça-feira, da cúpula de presidentes da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (CELAC), à qual o Brasil retorna após alguns anos de ausência. O ministro das Relações Exteriores de Lula, Mauro Vieira, explicou no sábado em entrevista à agência oficial argentina Télam, que a visita faz parte de uma política externa que buscará “reconstruir pontes” com a comunidade internacional.”O que vamos fazer em Buenos Aires e Montevidéu (ndr: onde Lula se encontrará com seu homólogo uruguaio, Luis Lacalle Pou, na quarta-feira) é dialogar com os sócios sobre a situação que herdamos e possíveis rumos a seguir. O primeiro passo é relançar a relação bilateral, e isso será feito com base na declaração conjunta dos presidentes (Alberto) Fernández e Lula, que será o roteiro desse relançamento, com objetivos e tarefas claros”, especificou o diplomata. Em meio à crise do Mercosul após a decisão do Uruguai de negociar um tratado de livre-comércio bilateral com a China e solicitar a entrada no Acordo Transpacífico sem o consentimento dos demais sócios – decisão questionada por Brasília, Buenos Aires e Assunção –, Vieira disse que o Brasil pretende falar “sobre o presente e o futuro do Mercosul”. Os governos do bloco fundado em 1991 devem “fazer os ajustes necessários em diálogo permanente com os empresários dos nossos países”, disse Vieira à Télam.Lula tem encontro marcado com Fernández na Casa Rosada nesta segunda-feira pela manhã, antes de um pronunciamento conjunto dos presidentes.O Brasil é o principal parceiro comercial da Argentina, segundo dados oficiais divulgados na semana passada pela agência nacional de estatísticas da Argentina, Indec.Com 14,3% do total das vendas argentinas para o exterior, o Brasil é o primeiro destino das exportações argentinas, que em 2022 somaram quase US$ 12,7 bilhões no solo brasileiro, um crescimento de 7,6%. Enquanto isso, as importações do Brasil ultrapassaram os US$ 16 bilhões e, com um crescimento anual de 28,8% no ano passado, representam quase 20% das compras argentinas no exterior.A viagem de Lula também marca o retorno do Brasil à Celac, fórum de consulta formado por 33 países. Brasília deixou a instituição em 2020 por decisão do então presidente Jair Bolsonaro, que considerava que “dava palco para regimes não democráticos como os de Venezuela, Cuba e Nicarágua”.Lula pretende se encontrar em Buenos Aires com o presidente cubano, Miguel Díaz-Canel, segundo fontes da Presidência da República. O líder da ilha comunista confirmou sua presença na Celac. A versão sobre uma reunião entre Lula e o chavista Nicolás Maduro circula fortemente, mas não foi confirmada por canais oficiais. O presidente venezuelano não compareceu à cerimônia de posse de Lula em Brasília, em 1º de janeiro.bur-mr/ltl/dl/aa/tt