Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Lula diz que Bolsonaro mandou Torres ao Rio para ‘proteger’ Jefferson

Publicado

dia:

Lula diz que Bolsonaro mandou Torres ao Rio para 'proteger' Jefferson

Reprodução / Youtube – 23.10.2022

Ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante participação no podcast DL Show

O  ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
disse que o atual mandatário, Jair Bolsonaro (PL)
, teve a “petulância” de mandar um ministro para proteger o ex-deputado federal Roberto Jefferson
, preso na noite deste domingo (23) após troca de tiros com policiais federais em sua casa no Rio de Janeiro
.

Hoje, durante participação no podcast DL Show, o petista se referiu ao pedido de Bolsonaro
para que o ministro da Justiça, Anderson Torres, acompanhasse a rendição de Jefferson
.

“Bolsonaro é muito agressivo. Ele teve a petulância de mandar o ministro da Justiça lá para proteger um cidadão que tinha se recusado a se entregar para a PF que cumpria o mandado de um juiz. Ou seja, é um absurdo”, disse Lula
 na noite deste domingo.

Nas redes sociais, o  mandatário disse repudiar as declarações do ex-parlamentar contra a ministra do Supremo Tribunal Federal Cármen Lúcia
e que já havia determinado a ida de Torres ao Rio de Janeiro “para acompanhar o andamento” do episódio, o qual chamou de “lamentável”.

Mais tarde, depois de Jefferson ter se entregado à Polícia Federal
, o  chefe do Executivo se referiu a ele como “bandido”
.

“Como determinei ao ministro da Justiça, Anderson Torres, Roberto Jefferson acaba de ser preso. O tratamento dispensado a quem atira em policial é o de bandido. Presto minha solidariedade aos policiais feridos no episódio”, disse ele em vídeo publicado nas redes sociais.

Mais cedo, após troca de tiros de Jefferson com policiais federais, durante mandado de prisão na casa do ex-deputado, no Rio de Janeiro
, Bolsonaro tentou se distanciar do ex-presidente do PTB
. Em live ao lado do candidato ao governo de São Paulo Tarcísio de Freitas (Republicanos)
, o mandatário falou sobre o episódio e disse que não tinha “uma foto” dos dois juntos.

Imagens de Bolsonaro ao lado de Jefferson, no entanto, podem ser encontradas na internet, inclusive nas redes sociais do próprio ex-deputado. 

Ex-deputado federal, Roberto Jefferson, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL)
Reprodução/ Metrópoles

Ex-deputado federal, Roberto Jefferson, ao lado do presidente Jair Bolsonaro (PL)

Hoje, Jefferson afirmou ter trocado tiros com policiais federais que foram até sua casa para prendê-lo
. O mandado para prender Jefferson é assinado pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Alexandre de Moraes e foi enviado para a Polícia Federal do Rio de Janeiro no fim da noite do sábado (22)
.

Em um vídeo gravado no momento da operação, Jefferson disse que não iria se entregar.  De acordo com a PF, dois agentes ficaram feridos na ação por “estilhaços de granada arremessados pelo alvo”, mas foram socorridos e passam bem
.

Após o episódio na casa de Jefferson, Moraes
determinou uma nova ordem de prisão contra o ex-parlamentar, desta vez em flagrante, por suspeita de tentativa de homicídio dos dois policiais que ficaram feridos durante ação.

A operação aconteceu após  Roberto Jefferson xingar a ministra Cármen Lúcia de “bruxa” e compará-la a uma “prostituta”
após o voto favorável da magistrada em conceder 116  direitos de resposta ao ex-presidente Lula
 na Jovem Pan
, depois que o canal divulgou informações falsas sobre o petista. O vídeo foi publicado nas redes sociais de Cristiane Brasil (PTB-RJ), filha dele.

A Associação Brasileira De Juristas Pela Democracia (ABJD) chegou a ir ao STF pedindo para revogar a prisão domiciliar do ex-deputado após as declarações
. Segundo os juristas, as ofensas misóginas de Jefferson violam as regras impostas a ele para o benefício.

Entre no 
canal do Último Segundo no Telegram

e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo.  Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE