Siga-nos nas Redes Sociais


Saúde

Governo antecipa campanha de vacinação contra a gripe

Publicado

dia:

Ministério da Saúde afirma que a vacinação vai auxiliar profissionais na triagem de pacientes e acelerar o eventual diagnóstico do novo coronavírus.

O governo federal antecipou, em 2020, a campanha de vacinação contra a gripe. O Ministério da Saúde diz que a vacinação também vai auxiliar os profissionais na triagem de pacientes e acelerar o eventual diagnóstico do coronavírus.

A vacina contra a gripe está em fase final de produção. O Instituto Butantã afirma que vai entregar as doses a tempo da campanha antecipada pelo governo. Os lotes serão enviados ao Ministério da Saúde, responsável por colocá-los à disposição da população.

Em meio ao coronavírus, a preocupação é com a meta. Em 2019, oito estados não conseguiram vacinar 90% do público-alvo, como estabelecido pelo Ministério da Saúde. Deixaram de se vacinar 3,8 milhões de gestantes e 2,6 milhões de crianças.

À época, mesmo após o fim da campanha, a orientação foi continuar a vacinação enquanto durassem os estoques para evitar o desperdício. A partir do dia 23 de março, serão 75 milhões de doses de vacinas contra influenza, 15 milhões a mais que em 2019.

Agora, cumprir a meta ganha ainda mais relevância. A estratégia é diminuir a quantidade de pessoas gripadas no inverno. Mas a campanha também vai ajudar os profissionais de saúde a diagnosticarem mais rápido o coronavírus.

“O médico, sabendo que o paciente já foi vacinado contra a influenza, vai investigar outras causas. Isso contribui”, avaliou Wanderson Kleber de Oliveira, secretário de Vigilância em Saúde.

A vacinação será em etapas. Primeiro, devem ser vacinadas gestantes, crianças até 6 anos, mulheres até 45 dias após o parto. Depois, serão idosos. Numa terceira etapa, demais grupos: profissionais de saúde, de força de segurança, por exemplo.

A infectologista Heloísa Ravagnani reforça que a vacina contra a gripe tem importância individual e coletiva.

“A vacina é importante não só para quem recebe porque vai evitar o adoecimento, mas vai evitar que essa pessoa passe esse vírus adiante. A gente precisa aumentar a vacinação para que outras pessoas que eventualmente não se vacinaram fiquem protegidas de alguma forma”, disse.

Publicidade
Clique e Comente

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Publicidade

Siga-nos no Facebook

Mais Lidas