Siga-nos nas Redes Sociais


Negócios

Faturamento de quatro a cada dez pequenos negócios aumentou em agosto

Publicado

dia:

Faturamento de quatro a cada dez pequenos negócios aumentou em agosto

O número de pequenos negócios com redução de faturamento diminuiu nos últimos quatro meses. É o que mostra uma pesquisa feita pelo Sebrae, em parceria com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com o estudo, em agosto cerca de quatro a cada dez empresas (38%) apresentaram aumento de faturamento, em relação ao mesmo mês de 2021. Além disso, 25% mantiveram o nível e 28% disseram ter perdido faturamento. 

Gerente de uma agropecuária em Juiz de Fora, Minas Gerais, Ana Aline conta que nos primeiros meses de 2022 o faturamento da loja ainda era afetado pela pandemia, mas hoje já sente uma pequena melhora. 

“No segundo semestre a gente sentiu que as coisas já começaram a melhorar, voltar talvez num patamar pré-pandemia. No setor pet, a gente sentiu um crescimento do primeiro semestre para o segundo com um início de uma melhoria, ainda está um pouco estável, porém a gente sente o início de um crescimento.” 

A empresa mineira exemplifica os dados da pesquisa mais recente: que os pequenos negócios recuperaram o faturamento e estão com um nível de receita, em média, 3% superior. Em abril, os números da última análise ainda registravam uma queda média de 7% na receita. Setores como energia, indústria de base tecnológica, academias de ginástica e agronegócio puxam esses números.

Para especialistas, revisão para cima da estimativa do PIB brasileiro de 2022 pelo FMI confirma melhora da economia

Com novas regras, SAC é obrigado a informar tempo de espera para que consumidor seja atendido

Segundo o analista de competitividade do Sebrae nacional, Alberto Vallim, o que explica, em parte, o aumento do faturamento é o início de uma recuperação das perdas que aconteceram ao longo da pandemia. Mas existem outros fatores que precisam ser levados em conta.

“Nos últimos meses a gente teve um alívio de algumas condições que estavam pressionando as empresas no primeiro semestre, como aumento de custos muito forte. Houve também uma pequena melhoria agora e isso também ajudou tanto para as empresas organizarem suas finanças como também para a retomada do consumo”, explica o analista.

Reportagem, Lívia Braz.

Fonte: Brasil 61

#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE