Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Entenda como funciona o ChatGPT, primeiro robô de inteligência artificial

Publicado

dia:

Entenda como funciona o ChatGPT, primeiro robô de inteligência artificial


Inteligência Artificial (IA) chega à população para automatizar até as tarefas mais simples através de seus robôs (bots), e a primeira tecnologia mais falada (e preocupante) do momento é o ChatGPT. Confira aqui como esse robô funciona e pode impactar sua vida Unsplash/Zac Wolff OpenAI é a empresa de inteligência artificial criadora do ChatGPT

O ChatGPT é um sistema de chatbot baseado em inteligência artificial que usa a tecnologia GPT-3 (Generative Pre-trained Transformer 3) para fornecer respostas inteligentes a perguntas. O ChatGPT foi desenvolvido para ajudar as pessoas a interagir com seus dispositivos de forma mais natural e intuitiva. Ele usa a tecnologia GPT-3 para entender o contexto das perguntas e fornecer respostas relevantes. O ChatGPT também pode ser usado para criar bots de conversação personalizados para aplicativos, sites e outras plataformas. Também é um sistema de conversação inteligente que usa a tecnologia de Processamento de Linguagem Natural (NLP) para entender o que você está dizendo e responder de forma inteligente. Ele usa modelos de aprendizado de máquina para entender o contexto e a intenção de suas mensagens, e responder de forma apropriada. Os países que mais usam o chatbot atualmente são Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, Austrália, Índia, Alemanha, França, Brasil, Japão, China e Coreia do Sul.

Publicidade

A privacidade no chat é garantida através de criptografia de ponta a ponta, o que significa que as mensagens são criptografadas antes de serem enviadas e só podem ser decifradas pelo destinatário. Além disso, os servidores de chat não armazenam as mensagens, o que significa que elas são excluídas assim que são entregues. Muito se questiona sobre questões éticas no uso dos robôs, o preconceito na inteligência artificial é um problema sério que precisa ser abordado. A IA é frequentemente vista como uma ameaça às pessoas, e isso pode levar à discriminação. É importante que as pessoas entendam que a IA não é uma ameaça, mas sim uma ferramenta que pode ser usada para ajudar as pessoas a viver melhor, sem a intenção de prejudicá-las.

As principais limitações da inteligência artificial ainda incluem a falta de compreensão profunda, a incapacidade de tomar decisões éticas, a incapacidade de se adaptar a novas situações, a incapacidade de criar ideias e a incapacidade de se comunicar como um ser humano. Por esses e outros aspectos é necessário um código de ética para o uso da IA, que deve abordar os pontos abaixo.

Código de Ética da Inteligência Artificial

Publicidade
A Inteligência Artificial deve ser usada para o bem da humanidade e para o benefício de todos. A Inteligência Artificial deve ser desenvolvida e usada de forma responsável, ética e segura. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a alcançar seus objetivos, não para substituí-los. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a tomar decisões informadas e responsáveis. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a entender melhor o mundo ao seu redor. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a melhorar a qualidade de vida. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a criar soluções para problemas complexos. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a desenvolver tecnologias que sejam seguras, éticas e responsáveis. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a criar soluções que sejam sustentáveis e que não causem danos ao meio ambiente. A Inteligência Artificial deve ser usada para ajudar a humanidade a criar soluções que sejam justas e equitativas para todos.

Em respeito a esses princípios, o ChatGPT, uma das tecnologias de IA mais utilizadas no momento, é um modelo de linguagem baseado em machine learning desenvolvido pela OpenAI, uma empresa de tecnologia de inteligência artificial com sede nos Estados Unidos. Ele foi treinado usando dados de texto da internet e é capaz de responder perguntas e completar frases ou textos com o objetivo de imitar a conversação humana de maneira fluente e natural.

O ChatGPT é amplamente utilizado em várias áreas, incluindo: Atendimento ao cliente: o ChatGPT pode ser usado para responder automaticamente a perguntas comuns dos clientes, reduzindo a carga de trabalho dos agentes humanos. Comunicação de mídia social: o ChatGPT pode ser usado para responder a comentários e mensagens de mídia social de maneira rápida e eficiente. Aplicativos de conversação: o ChatGPT pode ser integrado a aplicativos de conversação para fornecer respostas rápidas e precisas a perguntas dos usuários. Geração de conteúdo: o ChatGPT pode ser usado para gerar automaticamente descrições de produtos, resumos de notícias, entre outros tipos de conteúdo.

Estas são apenas algumas das áreas onde o ChatGPT está sendo utilizado. É importante destacar que a lista não é exaustiva e que a utilização do ChatGPT pode ser expandida para outras áreas com o tempo. No que se refere à propriedade intelectual, os textos gerados pelo ChatGPT não são plágio, já que eles são criados automaticamente a partir de sua capacidade de prever o texto seguinte com base em dados de treinamento. No entanto, é possível que algumas frases ou informações sejam similares a textos existentes, já que o ChatGPT foi treinado em enormes quantidades de dados de texto da internet.

Publicidade

Em geral, é aconselhável sempre verificar a precisão e a originalidade das informações geradas pelo ChatGPT antes de usá-las, justamente para evitar problemas de plágio. Além disso, é importante observar que a ferramenta não é perfeita e pode cometer erros ou gerar informações imprecisas, por isso é sempre necessário ter um julgamento crítico ao usar o ChatGPT ou quaisquer outras ferramentas de inteligência artificial – principal argumento que justifica a não substituição total das pessoas. Os profissionais focarão em gerenciar os robôs e ferramentas de automatização por inteligência artificial. Alguns dos principais concorrentes do ChatGPT incluem: GPT-3, da OpenAI: GPT-3 é um modelo de linguagem mais avançado do que o ChatGPT e é amplamente utilizado em muitas das mesmas áreas. BERT, da Google: BERT é um modelo de processamento de linguagem natural que é usado em muitas tarefas de NLP, incluindo respostas a perguntas e classificação de sentimentos. RoBERTa, da Facebook AI: RoBERTa é outro modelo de processamento de linguagem natural que é considerado como uma versão aprimorada do BERT. XLNet, da Google: XLNet é um modelo de linguagem autoregressivo que é projetado para lidar com problemas de dependência cruzada em dados de treinamento de forma mais eficiente do que o GPT-2.

Estes são apenas alguns dos principais concorrentes do ChatGPT. É importante destacar que a lista não é exaustiva e que existem outros modelos de linguagem baseados em machine learning disponíveis no mercado. Em relação à aplicação profissional, a inteligência artificial pode substituir, otimizar ou complementar algumas profissões (mas não as pessoas) em vários setores, como: Processos administrativos: O uso de robôs para automatizar tarefas administrativas, como a entrada de dados, pode eliminar a necessidade de muitos trabalhadores administrativos. Atendimento ao cliente: Chatbots e outras formas de IA podem responder rapidamente a perguntas comuns de clientes, reduzindo a necessidade de representantes de atendimento ao cliente humanos. Manufatura: O uso de robôs na manufatura pode substituir trabalhadores em tarefas repetitivas e perigosas, como montagem de componentes e soldagem. Varejo: A IA pode ser usada para análise de dados de vendas e de estoques para fazer previsões de demanda e ajustar as políticas de estoque, eliminando a necessidade de alguns trabalhadores de gerenciamento de estoque. Transporte e logística: O uso de drones e veículos autônomos pode substituir motoristas em algumas aplicações, como entregas rápidas e transporte de mercadorias.

Por outro lado, a inteligência artificial ainda não pode substituir completamente a capacidade humana em algumas profissões, incluindo:

Publicidade
Atividades que requerem empatia e habilidades sociais, como terapeutas, enfermeiros, professores e trabalhadores sociais. Trabalhos que envolvem criatividade, como artistas, escritores e publicitários. Atividades que requerem julgamento humano e resolução de problemas complexos, como juízes, avaliadores e investigadores. Trabalhos que requerem flexibilidade e adaptabilidade, como assistentes pessoais e gerentes de projetos. Atividades que requerem habilidades motoras complexas, como cirurgiões e dançarinos.

A IA pode ajudar a complementar e melhorar essas profissões, mas ainda não pode substituir a capacidade humana de lidar com nuances e situações complexas. Além disso, muitas dessas profissões também requerem uma conexão humana única que a IA ainda não pode fornecer. Por fim, é importante destacar que a inteligência artificial ainda está em sua fase inicial e que muitas profissões não podem ser completamente substituídas por ela. Além disso, a IA também pode criar novas oportunidades de emprego em áreas relacionadas, como o Desenvolvedor de Sistemas de IA, o Administrador de Robôs, e o Engenheiro de Comandos (Prompt Engineering), responsável por saber criar as perguntas corretas para as plataformas de IA entregarem as melhores respostas pois, “de nada adianta a inteligência ser artificial, se a pessoa é carente de inteligência básica.” 

DICA: Veja no site como está o grau de automatização da sua profissão pela Inteligência Artificial, e qual a possibilidade de você ser substituído por um robô.

Quer se aprofundar no assunto, tem alguma dúvida, comentário ou quer compartilhar sua experiência nesse tema? Escreva para mim no Instagram: @davisalvesphd.

Publicidade

*Esse texto não reflete, necessariamente, a opinião da Jovem Pan.

Siga o portal Grajaú News no Google Notícias e no Canal do Telegram.

#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE