Siga-nos nas Redes Sociais


Brasil

Em Pernambuco, Bolsonaro crítica Bolsa Família e promete manter Auxílio Brasil “lá em cima”

Publicado

dia:

Intel produzirá chips para MediaTek

RIO DE JANEIRO (Reuters) – O presidente e candidato à reeleição Jair Bolsonaro (PL) viajou a Pernambuco neste sábado para fazer campanha em busca de reduzir a vantagem do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) apontada por pesquisas no Nordeste, e reiterou a promessa de manter em 600 reais o valor do Auxílio Brasil, programa que substituiu o antigo Bolsa Família.

Em comício realizado em Caruaru após uma motociata por cidades do Agreste, o presidente criticou os valores pagos anteriormente pelo Bolsa Família e exaltou o aumento concedido por seu governo ao benefício social.

“No nosso governo nós acabamos com o Bolsa Família e criamos o Auxílio Brasil, e o valor passou a ser no mínimo 600 reais. E mais, você pode arranjar emprego que você não vai perder o Auxílio Brasil”, disse Bolsonaro.

“Vamos continuar com gasolina lá embaixo e Auxílio Brasil lá em cima”, prometeu.

O Auxílio Brasil foi criado com o valor de 400 reais pelo governo Bolsonaro em substituição ao Bolsa Família que pagava, em média, 192 reais por família. O valor foi ampliado em julho para 600 reais somente até o fim do ano, em uma medida apontada por críticos do governo como eleitoreira.

Tanto Bolsonaro quanto Lula já prometeram manter o valor do benefício em 600 reais no próximo ano se eleitos. A proposta orçamentária de 2023 encaminhada pelo governo ao Congresso no fim de agosto, no entanto, não previu a despesa adicional.

Mais tarde neste sábado, Bolsonaro participará de uma Marcha para Jesus em Garanhuns, a cidade natal de Lula.

O presidente viajou ao Nordeste em busca de reduzir a ampla vantagem do adversário na região. De acordo com pesquisa Datafolha publicada na quinta-feira, Lula lidera as intenções de voto entre os moradores do Nordeste com 59%, ante 22% de Bolsonaro –maior vantagem do petista entre todas as regiões do país. No cenário nacional, Lula tem 45% da preferência dos eleitores e Bolsonaro, 33%.

Faltando duas semanas para o primeiro turno da eleição, Bolsonaro vai buscar reforçar agendas no Sudeste –onde está concentrada a maior fatia do eleitorado nacional– e também no Nordeste, principal base eleitoral de Lula e também do candidato presidencial do PDT, Ciro Gomes.

(Por Pedro Fonseca)

Fonte: Yahoo Notícias

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DO MÊS