Siga-nos nas Redes Sociais


Bairros

Doria sinaliza que pode decretar “lockdown” se situação se agravar após feriadão

Publicado

dia:

Governador afirmou que ele e os prefeitos do estado estão fazendo ‘todo o esforço possível’ para evitar confinamento total.

O governador do estado de São Paulo, João Doria, disse no começo da tarde desta quarta-feira (20), que se os índices de coronavírus piorarem no estado, serão tomadas medidas mais restritivas.

“Se nós não tivermos solidariedade, os índices crescerem ainda mais, e colocarmos em risco a vida das pessoas, seremos obrigados a adotar o lockdown”.

Doria não especificou quais são os índices. No protocolo estabelecido para um possível relaxamento da quarentena, são considerados três índices: mortes, casos e ocupação de UTIs.

Nas últimas 24h, houve o registro de mais 216 mortes no estado por Covid-19, chegando à marca de 5.363 mortes pela doença no estado desde o início da pandemia.

“Vamos fazer um esforço nesses 6 dias, de hoje até a próxima segunda-feira, dia 25 de maio, na capital, região metropolitana, no litoral, e no interior de São Paulo, para evitar medidas mais duras e mais restritivas”, disse o governador.

Coronavírus: Governador de São Paulo volta a falar em 'lockdown' no estado

No entanto, Doria ressaltou que ele e os prefeitos do estado estão fazendo “todo o esforço possível” para evitar o confinamento total. “Se pudermos evitar com ações, com medidas e com a solidariedade das pessoas que estão se resguardando, se protegendo e se isolando em casa, melhor”, afirmou o governador.

Doria disse que, antes de anunciar o lockdown, devemos ter “esperança e confiança”. “Confiança de que as pessoas saberão respeitar a orientação de não viajar, de ficar em casa, e compreenderem a importância de protegerem as suas vidas e de seus familiares. Se isso não ocorrer nós, infelizmente, teremos que avançar em novas etapas.”

O governador comentou ainda sobre o maior número de mortes em um dia no país, anunciado nesta terça-feira (19), com 1.179 novos registros. “Será que é preciso mais que essa tragédia para compreendermos a importância do resguardo e isolamento social? Será que vamos precisar ver pessoas mortas nas calçadas?”

300 respiradores do Ministério da Saúde

O secretário estadual da Saúde de São Paulo, José Henrique Germann, declarou que o estado vai receber 300 respiradores do Ministério da Saúde até sexta-feira (22). O anúncio foi feito em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes nesta quarta (20).

Germann disse ainda que, em São Paulo, 1,6 mil leitos de UTI foram habilitados pelo ministério desde o início da pandemia, mas há ainda 1,8 mil leitos que aguardam aprovação.

No início de maio, o governador João Doria (PSDB) criticou o governo federal e disse que o estado não recebeu ajuda do ministro Nelson Teich para o combate ao coronavírus. Em entrevista à GloboNews no dia 8 de maio, Doria cobrou que o governo federal e o então ministro Nelson Teich repassassem equipamentos, insumos e recursos adicionais ao estado.

Publicidade
Clique e Comente

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Publicidade

Siga-nos no Facebook

Mais Lidas