Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

CSN arremata geradora de energia CEEE-G com oferta de R$928 mi

Publicado

dia:

CSN arremata geradora de energia CEEE-G com oferta de R$928 mi

Por Letícia Fucuchima

SÃO PAULO (Reuters) -A siderúrgica CSN venceu nesta sexta-feira o leilão de privatização da geradora de energia elétrica gaúcha CEEE-G com um lance de 928 milhões de reais, após disputar o ativo em modo viva voz com a Auren Energia.

Por meio da Companhia Florestal do Brasil, a CSN ofereceu um ágio de 10,93% sobre o preço mínimo de 836,9 milhões de reais definido em edital.

Além do valor da oferta no certame, a CSN terá de pagar uma outorga de 1,66 bilhão de reais à União pela renegociação dos contratos de venda de energia da CEEE-G.

A CSN, que havia arrematado no início do mês uma hidrelétrica em Santa Catarina por 427,5 milhões de reais no início do mês, tem buscado garantir oferta de energia renovável.

A oferta da siderúrgica no leilão desta sexta-feira bateu a última proposta oferecida pela Auren Energia, do grupo Votorantim e do CPPIB, que havia ofertado 927,2 milhões de reais.

A Reuters publicou na quarta-feira que as duas empresas estariam na disputa. Inicialmente, a CSN tinha planos de entrar em consórcio com a francesa EDF, mas a parceira acabou desistindo de última hora de participar do processo.

A CEEE-G tem cinco hidrelétricas, oito pequenas centrais (PCHs) e duas centrais geradoras (CGHs), totalizando cerca de 990 megawatts de capacidade instalada. Somadas as participações da companhia em consórcios ou sociedades de propósito específico, o portfólio chega a 1,27 GW de potência.

Com a privatização, será outorgado um novo contrato de concessão com prazo de 30 anos de vigência.

A partir de 2023, as usinas da CEEE-G passarão por um processo de descotização, possibilitando a comercialização da energia livremente no mercado.

A geradora era o último ativo de energia de posse do governo gaúcho. O Estado desmembrou a CEEE em três unidades e, no ano passado, vendeu a distribuidora de energia para a Equatorial Energia e o braço de transmissão para a CPFL Energia.

Já no setor de gás, o Estado alienou a distribuidora de gás canalizado Sulgás para a Compass, empresa da Cosan.

(Por Letícia Fucuchima; edição de Roberto Samora)

Fonte: Yahoo Notícias

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DO MÊS