Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Conselho de Ética da Alesp recorre ao Diário Oficial para notificar Douglas Garcia por quebra de decoro

Publicado

dia:

Conselho de Ética da Alesp recorre ao Diário Oficial para notificar Douglas Garcia por quebra de decoro

Deputado estadual corre o risco de ser cassado pela discussão com a jornalista Vera Magalhães e tem o prazo de cinco sessões ordinárias para manifestar a sua defesa

Divulgação/Alesp

O deputado Douglas Garcia é acusado de agredir verbalmente a jornalista Vera Magalhães

O Diário Oficial do Estado de São Paulo publicou neste sábado, 17, a notificação do Conselho de Ética da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) ao deputado estadual Douglas Garcia (Republicanos), denunciado por quebra de decoro após iniciar uma ríspida discussão com a jornalista Vera Magalhães na última terça-feira, após o debate entre os candidatos a governador realizado na TV Cultura. Garcia estava lá como convidado de Tarcísio Gomes de Freitas, candidato de seu partido à cadeira no Palácio dos Bandeirantes. Assinada pela deputada Maria Lucia Amaray (PSDB), presidente do Conselho, a nota afirma que foram feitas três tentativas de localizá-lo em seu gabinete, todas sem sucesso. Pesa contra o parlamentar oito representações pedindo a cassação do seu mandato. O candidato a deputado federal tem o prazo de cinco sessões ordinárias para se defender.

Douglas Garcia interpelou Vera Magalhães e disse que ela “é uma vergonha para o jornalismo”, frase que já havia sido usada por Jair Bolsonaro durante debate entre os candidatos à Presidência da República. Além disso, o deputado fez falsas alegações sobre o salário da jornalista na TV Cultura. A atitude gerou mal-estar na campanha de Tarcísio. O ex-ministro da Infraestrutura manifestou solidariedade a Vera e anunciou que o colega de partido não o acompanhará mais em nenhum evento. Garcia nega as acusações de agressão e registrou um Boletim de Ocorrência por calúnia e difamação. Na Alesp, o deputado já foi suspenso por ataques ao Supremo Tribunal Federal, em junho de 2010.

Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DA SEMANA