Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Carla Zambelli manifesta revolta após busca e apreensão de suas armas

Publicado

dia:

Zambelli diz ter sido agredida por militante petista antes de sacar arma para se defender em rua de São Paulo


Operação policial foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, e foram cumpridos três mandados em dois endereços da congressista

Reprodução/Twitter/antonionetopdt Carla Zambelli disse que sacou arma após ser atacada por petistas

A deputada federal Carla Zambelli (PL) deve recorrer da apreensão de armar feita em sua casa nesta terça-feira, 3. Foram cumpridos três mandados de busca em dois endereços da congressista, em Brasília e em São Paulo. No total, três armas foram apreendidas: um revólver .380, uma pistola de 9mm e uma arma de coleção calibre 38. A operação policial foi autorizada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, que no final do ano passado já havia atendido um outro pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR) solicitando o recolhimento de uma arma da deputada.

Publicidade

As ações ocorrem por conta do caso onde a parlamentar persegue a aponta a arma para um homem nos Jardins, área nobre de São Paulo, na véspera do segundo turno das eleições. A deputada alega ter sacado a arma em defesa de sua honra, pois teriam agredido ela verbalmente e cuspido em seu rosto. No dia 20 de dezembro, a Justiça determinou a suspensão da autorização do porte de arma da parlamentar, que entregou a pistola de forma voluntária. Zambelli, que também está com as contas nas redes sociais bloqueadas por uma determinação do STF, gravou um vídeo após a polícia deixar a sua casa nesta terça.

“Os policiais foram muito educados e o que me causa frustração, mas também revolta, é saber que esse mesmo STF tem agido para proibir ações em morros, onde a gente sabe que tem armas ilegais, estupradores, assassinos, traficantes de drogas e que essas mesmas pessoas, quando são presas, imediatamente são soltas na audiência de custódia”, declarou.

A deputada disse ainda, em nota oficial à imprensa, que achou a medida invasiva em seus endereços e que o recurso apresentado pela sua defesa não foi sequer apreciado, mesmo tendo sido protocolado antes do novo pedido de busca e apreensão da PGR. Por fim, ela justifica que as armas recolhidas eram para sua defesa pessoal. Entretanto, a decisão de Gilmar Mendes entende que há indícios de uso de arma para além dos limites da autorização de legítima defesa.

Publicidade

*Com informações da repórter Berenice Leite


Fonte: JOVEM PAN

Siga o portal Grajaú News no Google Notícias e no Canal do Telegram.

#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE