Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Candidato em Sergipe tem declaração de raça questionada por rival após caso ACM Neto

Publicado

dia:

Candidato em Sergipe tem declaração de raça questionada por rival após caso ACM Neto

***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, 21.03.2022 – O senador Alessandro Vieira (PSDB). (Foto: Adriano Vizoni/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – O senador Alessandro Vieira (PSDB) tem tido sua autodeclaração como pardo questionada por Rogério Carvalho (PT), também senador e seu concorrente na disputa pelo governo de Sergipe. O caso acontece na esteira de polêmica com autodeclaração de ACM Neto (União Brasil) na Bahia.

“Fiquei muito estarrecido com a informação que recebi de que o candidato Alessandro Vieira se declarou pardo. Uma pessoa que não me parece ter o biotipo pardo. Por qual motivo ele se declarou pardo? Será que é porque isso aumenta o valor do fundo partidário? Ele que combateu o fundo partidário, entrou no STF contra o fundo”, disse Carvalho em entrevista ao programa de rádio Jornal da Fan.

“Quando você diz que a pessoa é parda e ela tem acesso a cotas, seja do recurso eleitoral, seja de uma vaga na universidade, é para compensar toda a discriminação que essas pessoas viveram. Deixo a pergunta para a população sergipana: o senador Alessandro Vieira é pardo?”, completou.

Em nota, Vieira afirmou que sempre se identificou como pardo e que sua avó falava com carinho de seus ascendentes guaranis. Ele ainda enviou uma foto de sua primeira carteira de identidade, de quando era criança, na qual sua cor é descrita como “parda clara”. Em 2018, quando foi eleito senador, Vieira se declarou pardo.

“Assim como a maioria da população, eu sempre me identifiquei como pardo e tenho muito orgulho de ser fruto dessa mistura de povos que formou nosso país”, disse Vieira. “Mentira tem perna curta e o candidato Rogério segue passando vergonha.”

ACM Neto enfrenta desgaste na campanha ao governo da Bahia após se autodeclarar pardo em seu registro no TSE (Tribunal Superior Eleitoral).

Ele já havia se declarado pardo na eleição para a Prefeitura de Salvador em 2016, primeira eleição que ele disputou na qual o registro racial se tornou obrigatório.

Este ano, contudo, a declaração foi questionada pelos adversários e ganhou repercussão na semana passada após uma entrevista do candidato à TV Bahia, quando foi confrontado sobre o tema.

Fonte: Yahoo Notícias

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE