Siga-nos nas Redes Sociais


Últimas Notícias

Brennand ataca procurador e nega acusações de assédio – 25/10/2022 – Cotidiano

Publicado

dia:

Brennand ataca procurador e nega acusações de assédio - 25/10/2022 - Cotidiano

O empresário e herdeiro Thiago Brennand, 42, voltou a produzir vídeos e publicá-los em sua conta do YouTube e na plataforma de vídeos Rumble. Ele teve a prisão preventiva decretada pelos crimes de lesão corporal, corrupção de menores e crimes sexuais.

Brennand ficou conhecido após agredir a modelo Alliny Helena Gomes, 37, durante discussão em uma academia na zona oeste paulistana. Desde então, ao menos 15 mulheres já o denunciaram por crimes sexuais.

Preso no último dia 13 em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, ele acabou solto após pagar fiança e informar endereço fixo. O empresário viajou para o país no dia 4 do mês passado, horas antes de ser denunciado pelo Ministério Público.

No novo vídeo de 25 minutos, publicado nesta terça (25), ele não comenta a prisão, porém tornou a xingar pessoas envolvidas nos processos contra ele.

Entre os alvos estão a modelo Alliny Gomes, a ex-promotora Gabriela Manssur, que está à frente do projeto Justiceiras, a sua ex-advogada Dora Cavalcanti, o procurador-geral da Justiça de São Paulo, Mário Sarrubbo, e o advogado Marcio Janjacomo, que constituí a defesa das mulheres que o acusam.

Brenannd também fez menção a jornalistas da TV Globo e da Folha e negou que seja herdeiro, como foi creditado em uma reportagem. Ele é um dos herdeiros de uma família tradicional do Recife, que, segundo um primo, fez fortuna com a compra e a venda de terras, gado e imóveis.

Como a Folha mostrou em reportagem publicada em setembro, ele tem ao menos um CNPJ em seu nome, da TFV Administradora de Imóveis, cuja principal atividade é a gestão e administração da propriedade imobiliária e encontra-se com a situação cadastral ativa.

No novo vídeo, Manssur voltou a ser criticada —ela processa Brennand por outro vídeo em que foi xingada.

Desta vez, ele insinuou que ela “não é um exemplo de constituição familiar” por ter se separado duas vezes, além de chamá-la de “babaca” e acusá-la de tráfico de informações.

A ex-promotora disse à Folha, em nota, que está acostumada com esse tipo de acusação, que classifica como “assédio judicial”.

“Quero ver ele, cara cara, sem estar foragido e com a prisão preventiva decretada. Porque ele não voltou para responder o processo dele? Fica se escondendo em outros países e ainda ‘rindo da legislação brasileira'”, afirmou ela. “Nada me cala. Para quem já recebeu denúncias de um homem que se diz acima de Deus, no caso, João de Deus, isso para mim é ‘fichinha'”.

Em relação a Janjacomo, ele disse que o advogado fala de uma maneira que dá “sono”, criticou suas peças jurídicas e afirmou que é acusado injustamente de tatuar uma mulher à força. “Você está pintando o Thiago como Jason Voorhees, do [filme] ‘Sexta-Feira 13’. Como se tatua alguém à força? Me explica que até hoje eu não sei.”

Ele também comentou as ordens de prisão contra ele. “Eu disse que isso ia acontecer desde o início. Alguma dúvida que irão pedir e conseguir quantas quiser? Qualquer mulher que aparecer com uma queixa consegue.”

Em nota, o escritório de advocacia declarou que as palavras proferidas “apenas reforçam o perfil delinquente do senhor. Thiago, que é réu em diversas ações criminais, onde responde por crimes sexuais, corrupção de menores, agressões física e verbal contra mulheres, entre outros.” Afirmou, ainda, que as ofensas serão objeto de “apuração e futura responsabilização por parte de quem as proferiu.”

Em relação a Sarrubbo, Brennand afirmou que eles tiveram um problema no passado na Faap e o xingou.

Procurado, o procurador disse que não se recorda do empresário, que não tem nada a declarar a respeito dos xingamentos e que aguarda a decisão da Justiça quanto ao seu caso.

Ele também voltou a xingar a advogada Dora Cavalcanti e disse que ela tem ligação profunda com a “seita vermelha.” Procurada, Dora afirmou que não vai comentar os novos xingamentos.

Brennand voltou a dizer ainda que a maioria das denúncias de assédio sexual são falsas —a tese dele, porém, é refutada por especialistas ouvidas pela Folha.

#grajaunews @grajaunews

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE