Siga-nos nas Redes Sociais


Tecnologia

Apple dará mais transparência ao processo de remoção de apps

Publicado

dia:

Imagem de: WhatsApp: update permite bloquear contato direto das notificações


A Apple prometeu que vai tornar o processo de exclusão de aplicativos da App Store mais transparente, após ser acusada de colaborar com decisões “arbitrárias” ao não questionar pedidos de remoção feitos por governos de países como a China e a Rússia. A medida foi noticiada pelo Financial Times na quinta-feira (12).

Fontes disseram à publicação que a companhia firmou acordo com investidores ativistas, no início deste mês, se comprometendo a detalhar melhor os banimentos de apps relacionados às solicitações de governos estrangeiros. As informações serão divulgadas no relatório de transparência da Apple.

Publicidade

Já na próxima edição do documento, a gigante de Cupertino deverá divulgar as bases legais para os pedidos feitos pelas autoridades governamentais, juntamente com uma lista de solicitações por país e as categorias dos apps. Porém, não serão fornecidas as explicações sobre as retiradas de apps individuais, contrariando a requisição original dos investidores.

Acionistas da Maçã querem explicações sobre os banimentos de apps solicitados por governos.Fonte:  Unsplash 

Atualmente, a Apple publica somente a quantidade de apps cada país solicitou a remoção, se a solicitação é baseada em uma violação legal e o status do pedido — cumprido ou não. Esse modelo tem gerado reclamações por parte dos acionistas, pois impede que as decisões da big tech sejam analisadas adequadamente.

Publicidade

Ameaça à liberdade de expressão

Os pedidos de países para a exclusão de apps da App Store podem representar uma ameaça à liberdade de expressão, conforme a petição assinada por quase um terço dos acionistas da Apple. Mudanças na postura da companhia vinham sendo cobradas desde o início do ano passado.

Somente no primeiro semestre de 2021, a China mencionou 34 violações legais e exigiu a retirada de 89 apps da loja do iPhone, com a Maçã atendendo todas essas solicitações, segundo o relatório. Entre os softwares proibidos no país asiático, estão os mensageiros criptografados WhatsApp e Signal.

Siga o portal Grajaú News no Google Notícias e no Canal do Telegram.

Publicidade


#grajaunews @grajaunews #grajau #saopaulo

Publicidade
Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE