Siga-nos nas Redes Sociais


Saúde

6 cuidados fundamentais ao pular corda | EdiCase

Publicado

dia:

6 cuidados fundamentais ao pular corda | EdiCase

Redação EdiCase

6 cuidados fundamentais ao pular corda


Veja como realizar a atividade física corretamente e não prejudicar a saúde

Pular corda é uma atividade física aeróbica que colabora para o condicionamento físico e ajuda a emagrecer. Contudo, como é um exercício de alto impacto, deve ser realizado corretamente para evitar problemas de saúde e garantir bons resultados. Por isso, a personal trainer Ângela Steck dá algumas dicas sobre os cuidados. Confira! 

1. Material da corda

As cordas de sisal, muito usadas antigamente, hoje não são mais indicadas. Elas são muito leves, o que contribui para a prática errada do
exercício

. Prefira as cordas de PVC ou gel. 

2. Tamanho ideal da corda

Para realizar o exercício adequadamente é necessário que a corda tenha o tamanho correto. Para verificar isso, pise com os dois pés estendidos sobre a corda, estique-a ao lado do corpo. Ela deve chegar até a altura do peito.


> 6 mitos e verdades sobre dores nas costas

3. Locais indicados para pular corda

Pisos de cimento, mármore ou asfalto, por exemplo, pedem tênis com amortecedores. Pisos emborrachados ou gramados
reduzem o impacto e são mais recomendados

.

4. Contraindicações para a prática

Pular corda não é um exercício recomendado para quem possui algum problema nos joelhos ou tornozelos. Pessoas hipertensas ou com problemas cardiovasculares e indivíduos acima do peso, que estão há muito tempo sem se exercitar, devem procurar um médico antes de iniciar a atividade.


> Diagnósticos e tratamentos para a dor crônica 

5. Importância do aquecimento e do alongamento

Devemos lembrar que é importante um aquecimento prévio, seguido de alongamento muscular, para evitar o risco de lesões. Além disso, também é fundamental
manter a hidratação

durante o exercício.  

6. Comece devagar

Quem não tem muito fôlego deve começar a pular corda com poucas repetições e um maior descanso entre elas. Para os que possuem pouca coordenação motora, o ideal é começar sem a corda, com pequenos saltinhos no chão.  

Depois, com a corda em uma das mãos, gire ao lado do corpo (a corda deve bater de leve no chão e ao lado do pé). Após isso, com a corda em ambas as mãos e atrás do corpo, levante as pontas dos pés, dê um giro com a corda sobre o corpo e prenda embaixo dos pés. Faça isso até estar familiarizado com a corda.  


Veja mais notícias sobre saúde na revista ‘Cuidando da Saúde

Publicidade

Siga-nos no Facebook

LEITORES ONLINE

AS MAIS LIDAS DO MÊS