Siga-nos nas Redes Sociais


Curiosidades

10+ Truques que os restaurantes usam para manipular os clientes

Publicado

dia:

Imagem meramente ilustrativa

Como disse o famoso escritor e dramaturgo russo Yevgeni Grishkovetz, “pessoas realmente famintas não vão a restaurantes”. A verdade é que vamos a essas instituições para socializar e recarregar nossas energias. Isso é um fato bem conhecido entre os proprietários de restaurantes e cafés, de modo que o arsenal de truques para nos manipular é constantemente reabastecido.

  • Nenhuma cozinha de restaurante é completamente sem falhas. Muitas vezes massas e pizzas de restaurantes italianos são compradas fora da loja, em vez de serem preparadas no local. Caldos de sopa são frequentemente feitos com antecedência e armazenados em recipientes especiais. Às vezes, os cozinheiros usam tempero pronto.
  • Especialistas em cardápios geralmente removem os zeros no final dos preços para tranquilizar os visitantes. Se um prato vale R$ 50,00, por exemplo, convém remover os dois zeros do final. Números adicionais estão associados a alto custo, e quanto menos a pessoa pensar nos gastos, mais ela pedirá. Outra prática semelhante é a remoção do cifrão.
  • Doces, chicletes e outras pequenas coisas que os garçons trazem junto com a conta não são um agrado do restaurante. São uma forma de tentar fazer os clientes se sentirem culpados. O freguês tem a sensação de que o presente deve ser retribuído de alguma forma.
  • Se você pedir um buffet de casamento, alguns pratos podem não aparecer na mesa da comemoração. Muitas vezes, as porções são cortadas pela metade, especialmente em maio: esse período é considerado o “mês das noivas”.
  • As pessoas comem menos em restaurantes decorados com espelhos. Isso se deve ao fato de que quando uma pessoa tem a oportunidade de se ver, o nível de autocontrole durante a refeição aumenta.
  • Garçons costumam limpar as mesas e tirar os pratos usados não só por uma questão de higiene: os pratos sujos vão lembrar os clientes do quanto eles já comeram, e nesse caso, é improvável que eles se atrevam a pedir mais.
  • Os nomes dos pratos geralmente usam as chamadas consoantes “deliciosas”, a pronúncia das quais coincide com os sons da mastigação. Por exemplo, “b”, “v”“n” na frase “Ovos Beneditinos Suaves”.
  • Muitos restaurantes fazem o cheiro das comidas ficarem mais fortes para que os clientes tenham mais apetite. Por exemplo, as padarias instalam fornos especiais com ventilação mínima, para que o aroma de pãezinhos frescos chegue a clientes que estão mais distantes.
  • Você ajuda muito o restaurante se, ao chegar, procurar imediatamente um lugar isolado no canto: quando uma pessoa não está à vista de ninguém, ela pede mais comida. Além disso, os clientes que escolhem esse lugar, pedem pratos mais calóricos, e isso tem um bom efeito nas vendas de sobremesas.
  • Mas o oposto também é verdade: os gerentes tentam colocar os visitantes o mais perto possível da entrada do restaurante, “em primeiro plano” para dar a ideia de que estão cheios. Pessoas bonitas são deliberadamente oferecidas um lugar perto da janela ou na varanda para atrair mais atenção e dar a impressão de prestígio.
  • O sinal “Reservado” nem sempre é verdadeiro. Às vezes é colocado para manter em reserva uma mesa para um grande grupo de pessoas, o que potencialmente trará ao restaurante mais lucro do que um casal, que quer se sentar no mesmo lugar.
  • Se você pedir para abaixar um pouco a música, na verdade o volume será reduzido em 1 em cada 10 casos. Na maioria das vezes, você só será informado de que tudo foi feito como pediu. Provavelmente, vai até sentir que o volume da música diminuiu.
  • Não se deixe enganar ao ver a frase “leite de fazenda” no cardápio. É muito provável que seja um leite de supermercado de alguma marca de qualidade. Os ditos leites vegetais também são frequentemente substituídos pelo leite comum.
  • Os garçons sabem identificar quando um dos visitantes não costuma ir a restaurantes. Se você pedir massa à carbonara, eles saberão imediatamente que você não gosta de experimentar coisas novas e raramente come fora de casa. Os restaurantes incluem esse prato em seu cardápio, porque é acessível e fácil de preparar.
  • Muitos podem pensar equivocadamente que os chefs usam centenas de temperos. Mas isso acontece mais em países asiáticos. Em muitos outros lugares, eles usam apenas algumas especiarias: pimenta do reino, cominho, folha de louro, etc. Elas são colocadas em uma frigideira e, em seguida, moídas em um pilão.
  • Quando a comida é servida em pratos pequenos, a chamada ilusão de Delboeuf é desencadeada. Mesmo que a porção seja relativamente pequena, o visitante do restaurante se sente cheio. Muitas vezes, alguns restaurantes usam o método oposto, servindo pratos principais em pratos grandes. O convidado intuitivamente sente que ele ainda não comeu o bastante, e pede sobremesa.
  • Se o visitante não sabe o que pedir, o garçom pode ajudá-lo na escolha dando algumas opções. O convidado sempre pedirá o último prato que foi citado, pois se lembrará mais dele. Isso é bom para o restaurante, porque será, é claro, o mais caro.
  • Na maioria das vezes, os garçons são pessoas jovens. Mas já foi provado que pessoas de meia-idade em tal posição conquistam mais a confiança das pessoas. Os fregueses estão mais dispostos a aceitar recomendações na escolha de alimentos de garçons mais velhos. E esse truque permite que os restaurantes se destaquem da concorrência, pois podem promover pratos mais caros.
  • Até os pratos mais simples são decorados ao máximo, dessa forma se cria uma ilusão de variedade. O mesmo se aplica a pratos multicoloridos: o cérebro humano reage ativamente a cores fortes, porque elas estão associadas a frutas maduras. Como resultado, ficamos mais animados e comemos mais.

E você, já caiu em algum desses truques?

Publicidade
Clique e Comente

Você precisa estar logado para postar um comentário Entrar

Deixe uma resposta

Corrida contra o tempo! Ajude-nos!

Publicidade

Siga-nos no Facebook

Mais Lidas